Aguardamos de forma única a permissão de que tudo se torne aquilo que esperamos para sermos aquilo que queremos, pois ser apenas aquilo que deseja-se de nós está difícil, quase impossível. Mas, é assim que se espera em nossa sociedade, de imagens, de receios, de medos, de angústias. Não se faz mais o que se quer, mas apenas aquilo que se é esperado, e aí vivemos dessa forma, angustiados em meio a tudo, por todos. Mas, a nossa liberdade já nos foi dado, por Ele e mesmo assim não conseguimos enxergar, nem vivenciá-la, presos a legalismos, a regras ridículas, a normas sem sentido. Até onde vamos com isso? Até sua volta? E, quando voltar, será que teremos tempo suficiente para enxergarmos nossas falhas, nossos erros? É… Será?

Anúncios

Trânsito

Tudo que se vai e foi apenas era e é aquilo que um dia foste e nada é mais por ser temporário, transitório. E o trânsito, com seus ires e vires, loucos, velozes, insanos, medonhos, nos assusta em sua rapidez notória que vem a ser, sem vir, sem ir. Apenas o é, e assim sendo, é!

O rabo do peixe

E tudo que somos e que fomos acaba chegando a um resultado impensável daquilo que nem sabemos que podemos ter e ser. Mas, apenas sendo e tendo, somos pessoas, indivíduos, que chegam a conclusões, pensamentos, ideias, decisões. A vida é dessa forma, então, cheia de sentidos e ironicamente muitas vezes sem motivos por serem apenas o que são, sentidos sem sensações, sensações sem propósitos. De uma mente sã e ao mesmo tempo insana, de alguém que nada mais é do que um ser humano, sapiens daquilo que se coloca, mas muitas vezes sem saber apenas o é, sem perceber que aquilo que acredita é fruto de um senso comum, de uma tradição que lhe foi imposta, apenas porque não cabia na assadeira.

Passou a vir, a ser.

Por entre tudo aquilo que se passou em toda a existência do ser que acima dele esta e nada mais é do que ser inexorável do devir justamente tudo se esvai e nada sobra a não ser a certeza do vir.

E então nada mais é e tudo foi aquilo que um dia foste e nada seria a não ser um algo estonteante e ao mesmo tempo singelo como simples gota de orvalho, mas que em sua simplicidade demonstra uma complexidade tamanha que apenas palavras nada são para dizerem com total certeza a respeito daquilo que é, que foi, que será.

Sentido na realidade

Qual o sentido de tudo que se estabelece e se monta a frente das pessoas que dominam essa realidade em que estão inseridos e que mesmo não dominando plenamente dão os motivos para que as coisas sejam como são e sempre moldem a eles mesmos? Uma pergunta sem resposta frente a uma realidade sem sentido que alguns acham repetitiva, rotineira e corriqueira mas que não é nada disso, pois guarda em si, na sua aparente permanência uma complexidade tal que nem temos capacidade de compreender como um todo completamente o que ocorre e se estabelece.

Pensamentos libertos

A produção em escala de uma quantidade grande de textos emitindo opiniões das mais diversas nesses últimos dias que se passaram só demonstra aquilo que para alguns que conhecem é mais do que claro, que a mente está em franca produção, a mil por hora e num ritmo acelerado que mal consigo controlar e tudo que se estabelece é justamente numa velocidade tal que alguns se perdem e outras coisas ficam em segundo plano, mas tudo se dá em um momento verdadeiro de escrita e liberdade, daquela que é tangível a todos, mas quem nem sempre é realmente entendida quando a confundem com algo mais escuso e incorreto.